terça-feira, setembro 28

Governo Pernambucano migra computadores de Linux para Windows.

Imagine você ligando para o serviço 190 de um Estado para fazer uma denúncia ou queixa e o sistema da Polícia Militar está fora do ar. "Isso é inconcebível, mas era o que estava acontecendo", afirma o gerente geral do Centro Integrado de Operações da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, Alexandre Perez.

Por causa dessas falhas constantes nos mais de dez servidores Linux, o governo pernambucano investiu mais de R$ 550 mil na migração do servidor para Windows Server 2003.

"Foi uma ação conjunta de todo o Estado. O número de homicídios, por exemplo, foi reduzido em 18%, em relação ao mesmo período do ano anterior".
A Microsoft afirma que após a migração, o serviço 190 da Polícia Militar, que antes deixava o usuário esperando 10 minutos, hoje é instantâneo. Além disso, a solução permitiu a criação do Boletim de Ocorrência Integrado, em que a pessoa pode registrar queixa de um roubo de carro, por exemplo, em qualquer posto da Polícia Militar, Civil ou Rodoviária.


Questionado sobre o fato de ter ido contra a proposta de utilização do Linux do governo federal, Perez declarou: "Todo o mundo está adotando Linux porque é onda. A nossa experiência nestes quase três anos não foi boa", garante Perez.


Cadê a estabilidade?
Parece que está ficando mais dificil provar que Linux e software livre sao soluções nao ideologicas para o nosso governo.
O mais estranho é que eu ainda nao vi essa noticia em nenhum site relacionado com Linux, va lá eu sei que doi no coração mas mete lá mete, partidario.
Alves da Rocha (O Critico da comunidade Linux)

12 comentários:

Bruno Soares disse...

Quando o Sr. Ministro Sérgio Amadeu impôs que todo o Governo migrasse pra Linux, sem ter feito nenhuma análise de custo a médio/longo prazo, todos os Linux'ers aplaudiram de pé e apoiaram o cara. Mas agora que o governo de Pernambuco migra pra Windows provando as causas da migração, ninguém comenta nada. Só falta xingarem o cara =(.

Critico disse...

Eles já estão fazendo isso:
http://br-linux.org/noticias/003474.html#033509

Ficou bem evidente a pouca importancia que eles deram nessa noticia(Estao envergonhados).
É a unica solução que eles encontram nessas situações. Mas olha só eu nao me espanto com isso. Para mim esse tipo de atitude demonstra o caminho e o desespero que muita gente da comunidade está encontrando agora que entrou de cabeça nessa historia de software livre. Realmente é triste ter que ver isso.

Anônimo disse...

Seu babaquinha, essa reportagem apareceu em diversos sites de linux sim.

O nordeste é a parte mais atrasada e corrupta do Brasil. Não é a toa que se venderam para a Microshit !

Morra bastardo difamador !

Anônimo disse...

Já viram o case da Dataprev? http://www.softwarelivre.org/news/3103
Quando se quer, se faz bem feito.

Anônimo disse...

Eu pessoalmente acredito que todo crítico queria na verdade estar do lado oposto, mas não teve capacidade para tal. Se a consultoria foi ruim, isso torna o Linux uma ameaça? Instável? Inseguro?
Não há nenhum /getthefacts que possa falar de uma boa implementação de Linux, certo?
Mesmo uma boa implementação está sujeita a dar errado, e isso independe de ser Linux, Windows, Solaris... quantas boas implementações de Windows não páram por bugs de RPC, Trojans, Ataques DOS... e mesmo por falhas "menores" de programação? Quantas empresas mudaram de plataforma (independente de ser Windows > Linux) com seus sistemas rodando de forma instável mesmo antes da migração?

Bruno Soares disse...

"Seu babaquinha ...
Morra bastardo difamador !"

Olha, eu até gosto de Linux, e até me daria bem com a comunidade, se não fosse essa falta de educação toda. Eu já difamei alguém aqui? Vocês nunca vão me ver difamando ninguém, pois gosto de ser racional e expôr minhas idéias da forma correta, sem ofender ninguém.

Anônimo disse...

As estabilidades eram problema de hardware, que além de ser de baixa qualidade também não "tinha potência" pro serviço.
Quando mudaram pro windows, eles trocaram os servidores improvisados por um cluster de servidores da HP.

Leonardo L. disse...

É, digamos que com R$ 550mil dá pra fazer uma ótima aquisição de hardware. Se eles gastaram tudo isso com licenças, jogaram o dinheiro fora.

A minha opinião - e de algumas pessoas que conheço - é que isso foi resultado de contratação de mão-de-obra barata, e que não estava apta a fazer o serviço. Quebraram a cara e jogaram bastante dinheiro fora, mas tudo bem, vamos fazer de conta que não é dinheiro dos contribuintes (*suspiro*).

Isso também lembra uma notícia que saiu estes dias (ontem?) na slashdot, dizendo que o pessoal de TI costuma jogar a culpa no software/SO, quando na verdade a falta de projeto e planejamento é o maior culpado dos problemas. Pelo que podemos ver, é algo realmente comum.

E é isso.

Leonardo L. disse...

"Quando o Sr. Ministro Sérgio Amadeu impôs que todo o Governo migrasse pra Linux, sem ter feito nenhuma análise de custo a médio/longo prazo, todos os Linux'ers aplaudiram de pé e apoiaram o cara."

Impôs? Bom, pelo que eu sei até agora, o máximo que chegou a ser feito foram recomendações. Projetos de lei, vota pra cá, verifica pra cá, mas lei nenhuma, até agora (fora em RS, que é iniciativa estadual). Já estagiei numa universidade federal, e nunca vi nenhum tipo de imposição superior para migração do SO. Inclusive, o que vi foi resistência.

Tenho até uma história estilo essa de Pernambuco para contar, que foi a primeira tentativa para migração de um determinado laboratório de informática para GNU/Linux. O serviço foi mal implementado e as máquinas apresentavam desempenho sofrível, além de não possuírem programas. Isso foi por um simples motivo: falta de planejamento. Não fizeram testes de carga para ver quanto o servidor suportava, não visualizaram as reais necessidades do usuário, etc. Tiveram que voltar atrás.

Agora existe uma outra sala com GNU/Linux num anexo deste mesmo laboratório, que funciona muito bem. Entretanto, a questão da falta de programas ainda é um incômodo. Mas isso nem é bom eu falar muito porque senão ainda sobra pro meu lado. Resumindo: no final das contas, a questão política é a que mais pesa.

E é isso.

Anônimo disse...

Bruno não é pq um dos caras é mal educado ou teve um ataque de raiva que todos tb serão. Existem pessoas deste tipo em todos os lugares, seja no mundo linux ou no mundo win oui no mundo mac, alias existem mais pessoas no win não é mesmo? Que bom que vc pense que seje racional, aproveite e seja imparcial e analista tb, diferente dos linuxiitas fanaticos ou dos microservos zumbis ou dos zealots mac. Cada um tem seu merito e suas desvantagens.

valeu

Bruno Soares disse...

Sem dúvida, não são todos que agem assim. Mas entrando em um fórum de Linux, ou até mesmo de Java, percebe como o pessoal gosta de falar mal do que não conhece. Já vi cara falar que ASP.Net é um lixo porque copiou o JSP, quando o que ocorreu foi o contrário, com a SUN lançando este ano o JSF, que é uma cópia do ASP.net. Quem não conhece, não tem o direito de falar mal.

Eu penso da seguinte forma: para cada situação, há uma melhor solução. Pra que defender a Microsoft se é ela quem está lucrando com isso? Pra que defender Linux (e até trabalhar de graça) se quem está lucrando com ele é a IBM e tantas outras empresas? Pra que vou me arriscar a implementar algo com Linux num ambiente all-MS correndo o risco de ter um sistema instavel e perder dinheiro?

Pessoal, pensem mais nas verdinhas e menos em ideologia. Os únicos quem tem a ganhar com isso são vocês.

Abraços,

Bruno

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.