segunda-feira, novembro 29

A infantilidade de uma comunidade sem nivel.

Olá amigos,

tudo bom? Hoje gostaria de contar-lhes um fato interessante que aconteceu há alguns dias.... Lamentável, mas....
Acho que no dia 08 de Outubro aconteceu um evento de Software Livre aqui em Joinville. Esse evento é bem legal porque vem muita gente boa falar sobre solucões interessantes e, também, vem muitas pessoas com idéias radicais e viajadas sobre software livre. Esse evento atrai muitas pessoas devido a qualidade de muitas palestras e, também, porque existem pessoas, que nao tem o que fazer, que gastam seu tempo com idéias absurdas sobre Microsoft X Software Livre.
Ao saber desse evento através do meu colega Glauco pensei que seria ministrar uma palestra.... Idéia pronta e Glauco me colocou em contato com uma dos coordenadores do evento - Glaucio. Glaucio foi super gente fina e aceitou minha proposta. A minha proposta era falar sobre SCLI e como construir soluções para plataforma .NET usando SL. O meu objetivo era mostrar um cenário bem interessante com Webmatrix, SharpDevelop, Nant, NUnit e NHibernate ou Gentle.NET. Ou seja, ia mostrar uma aplicação construída em camadas e usando mapeamento objeto/realcional com .net.
Chegando o dia do evento e eu nao vi meu nome aparecer na lista de palestrantes... Falei com Glaucio e ele acho que tinha ocorrido algum engano e alguém esqueceu de reservar meu horário. Lamentável, mas nao foi nada disso. A outra parte da coordenação chegou a conclusão que eu deveria ser detonado porque eu ia falar sobre Microsfot. Pelo que eu soube, os outros membros ameaçaram explusar Glaucio da coordenação caso eu eu ministrasse a palestra. Achei isso tudo um absurdo e fiquei bem decepcionado com a falta de respeito com os participantes do evento.
Acho que com isso fica provado que muitos no SL levam as coisas pro lado pessoal e, como eu já pensava, tem muita gente confundindo as coisas dentro do SL. Acham que SL é ficar falando merda contra MS ou ficar chorando pelos cantos dizendo que a MS é monopólio. A MS nao tem culpa de ter qualidade no que faz e ter uma estratégia que concorrentes de baixo nível nao tenha espaço nem para respirar...
Creio que minha palestra seria de grande importância para os ouvintes. Isto é, os ouvintes que são pessoas sérias e que são os verdadeiros profissionais de TI. Profissionais que procurarm cada vez mais novas tecnologias para solucionar os desafios propostos pelos clientes. Profissionais que entendem a necessidades dos clientes para agilizar os negócios. Negócios onde, as vezes, o cliente nao está preocupado em quanto vai pagar por licença ou com mão-de-obra e sim com a qualidade da solução e quanto essa solução vai dar de retorno.
O que eu ia mostrar é uma prova de que a mesma comunidade que escreveu soluções maravilhosas para java, também reconhece a qualidade da plataforma .net e autoriza/escreve suas soluções em C#. Eu só queria mostrar a quantidade de soluções abertas que temos e, em especial, mostrar o Webmatrix e Sharpdevelop. Excelentes ferramentas que têm seus projetos reconhecidos pela Microsoft.
Bem, só tenho a lamentar e próximo ano tentarei participar do evento novamente.

abraço a todos,

Renato Guimarães
http://br.thespoke.net/BlogReader/SingleEntry.aspx?id=6185#id6185

Alves da Rocha (O Critico da comunidade Linux)

14 comentários:

Bruno Soares disse...

Lamentável... isso só demonstra a falta de visão de alguns profissionais, que teimam e não ouvir idéias contrárias às suas.

Anônimo disse...

Só queria ver o que aconteceria com alguém que fosse a um evento Microsoft palestrar sobre o Mono.

Anônimo disse...

Putz, cada uma que leio neste site.
Vc acha mesmo que está certo?
Ir palestrar sobre programas proprietários num evento de SL?
Ok, te convido então a ir a um Corinthians X Palmeiras vestido dos pés a cabeça de São Paulino, que tal?
Acho q vc entendeu o recado.

Anônimo disse...

Lamentável... isso só demonstra a falta de visão de alguns profissionais, que teimam e não ouvir idéias contrárias às suas.
um bom exemplo disto é este blog e alguns de seus defensores.

Bruno Soares disse...

Olha, juro que estou pasmo com as respostas de vocês! A única vez em que acreditava que iam concordar com o absurdo, acabam se mostrando tão errados quanto os organizadores do evento. Muitos falam de Mono em palestras Microsoft, nada demais.

O pior de tudo é que ainda comparam profissionais TI com torcida de futebol. Foi uma comparação totalmente infeliz e desrespeitosa.

Sou programador Microsoft há 5 anos, e se um cliente me pede uma solução Linux farei com todo prazer. Quem sai ganhando sou eu.

Anônimo disse...

Isso sem contar que projectos com licença GPL como sharpdevelop e matrix sao totalmente apoiados pela Microsoft que até recomenda no seu site o seu uso. Por isso é que a Microsoft vai continuar sempre a frente, tem melhrores profissionais e apresenta produtos excelentes como o .Net, e além disso uma gama de profissionais que em vez de perder tempo em foruns e palestras mostrando arrogancia, ganha grana pra feio, ao contrario dos pobrezotas da outra que perdem tempo em foruns a falar mal do software proprietario, mas sabia que a maioria deles trabalha com software proprietario e que outros tantos nem trabalham? Já vi muitos desses quando conseguem o primeiro emprego com software proprietario abandonam essa ideologia burra(posso citar nomes). software livre é para desesperados sem grana no bolso.
OBS: Nao vou responder a idiotas.

Impróprio disse...

É uma pena mesmo, ter pessoas com a mente fechada, que não está aberta a diálogos sadios, às vezes eu acho que o pessoal do SL estão fazendo uma espécie de panelinha, onde quem não usa SL ou não faz parte de uma cominidade de SL é um intruso.


São fatos como este que me fazem pensar, qual é vantegem de usar um SL.

Anônimo disse...

Considero muito válido o seu esforço em demonstrar situações onde SL e SP conivem muito bem e conseguem obter soluções de ótimo nĩvel. Você chegou a elaborar o material para a palestra? pode disponibilizar em algum local?

abs

Leonardo L. disse...

Cada comentário absurdo! Pessoal, dessa vez o crítico tem razão: isso foi uma palhaçada.

Será que esse pessoal não sabe a diferença entre plataforma (ou tecnologia) e *implementação*? .NET é uma tecnologia, com duas implementações fortes: uma que é o Microsoft .NET e outra que é o Mono.

Pessoalmente, não uso .NET nem Java porque nenhum dos dois trouxe coisas novas, só tentou botar um lado comercial nas já existentes. Mas isso não vem ao caso. Não se pode fechar os olhos a algo bom porque a idéia não foi feita por determinado grupo. Prova disso é o comentário que compara "ir a um jogo SP x Palmeiras, na torcida palmeirense, vestido como São Paulino". Parece que tal pessoa não leu a frase do post, que dizia: "A minha proposta era falar sobre SCLI e como construir soluções para plataforma .NET usando SL.".

Ouviram bem? Usando *SL*. Por favor, antes de comentar, leiam mais do que o primeiro parágrafo.

E é isso.

Bruno Soares disse...

Boa oFranja, concordo com você em todas as linhas. É muito bom poder ler comentários imparciais por aqui.

Anônimo disse...

Prezado(s),

Meu nome é Ricardo Macari, e fui um dos envolvidos com um evento de SL em Joinville, mas podemos estar falando de eventos diferentes, o nosso em questão foi o Congresso de SL, realizado pela segunda vez na cidade.

O evento do qual fiz parte, não possuia nenhum coordenador chamado Glaucio, como é relatado nesta história, portanto acredito que não se trata do Congresso, ou então "tem boi na linha", alguém foi encaminhado pra uma pessoa que não fez parte do evento, que se comprometeu a colocar na grade, mas não poderia por não ser parte da coordenação e também porque o tema não seria de forma alguma encaixado no evento, sendo um Congresso de SL, não existe e não existiria espaço para software proprietário, visto não ser esse o propósito do evento.

Nada contra se discutir .NET onde quiser, desde que se encaixe no contexto do evento, como por exemplo um evento amplo de TI.

Destaco ainda que, os únicos coordenadores do evento foram: Douglas, Dionara, Andrey e o pessoal da Sucessu-SC: Vinicius e Marta.

PS: estou postando como anonimo por não ter blog aqui, mas já deixei registrado quem sou.

Anônimo disse...

Meu nome é Douglas Conrad, sou um dos Coordenadores do Congresso Catarinense de Software Livre, e um dos responsáveis por excluir do evento a palestra sobre .NET usando ferramentas livres.

Em primeiro lugar gostaria de pedir desculpas ao Renato Guimarães pelo mal entendido e possíveis constrangimentos causados.

Gostaria de esclarecer alguns pontos importantes desta opinião pessoal do Renato e que acabou virando discussão.

Nossa primeira posição quanto à palestra sobre .NET foi negada por ser .NET, um dos coordenadores ( Glaucio ) que estava em contato com o Renato passou a informação para ele e pediu para que fosse falado de Mono e não .NET, a resposta foi semi positiva ( :) ) , pois ele se propôs à falar meio tempo de mono e meio de .NET . Infelismente não podíamos aceitar a proposta pois nosso evento não é comercial, ele é apoiado pela comunidade de SL do Estado e do País, e quando falamos de software livre neste evento não estamos pensando somente em produzir dinheiro ou brilhar os olhos de desenvolvedores e empresários para que partam para o SL por ser um bom negócio, mas sim buscamos este "brilho" com propostas técnicas viáveis e propostas sociais ( o principal pilar da comunidade de SL ) e deste ponto de vista infelismente não tínhamos espaço para qualquer tipo de divulgação e apoio à software monopolizadores , o que freia o desenvolvimento tecnológico e do conhecimento.

Quero deixar claro que não temos nada contra Softwares Proprietários, somente neste evento, eles não têm espaço. Como citou o Ricardo em um comentário anterior, com certeza em um evento sobre TI ( de uma forma geral ) o Software Proprietário terá o seu lugar. Assim como GNU/Linux não terá espaço em eventos da Microsoft ( pelo menos não tão cedo ). O pior ainda é por ser o .NET, que sabemos ser a braço forte de investimentos da Microsoft para agarrar a nova era de desenvolvimento, o que vai exatamente contra tudo o que o SL presa ( dissiminação do conhecimento ).

E para finalizar vou pedir permissão para citar um trecho de um email do Renato ao Glaucio após solicitarmos a troca para Mono: "Conversando com os colegas que já foram ao evento... Começaram a brincar
dizendo que vou sair apanhando de lá ser for falar de .NET. Você acha que é
possível isso? "

Como podemos ver , você mesmo Renato, sabia que era complicado esta apresentação.

Mais uma vez peço desculpas pelo mal entendido, pois acredito que está informação de que a palestra não tinha sido aprovada não chgou no tempo certo para você ( Renato ).

[]s


Douglas Conrad

Bruno Soares disse...

Olá Douglas,

Não entendi uma frase sua: "Desculpa pelo mal entendido". Que mal entendido houve aqui? Você barrou, descaradamente, o Renato de sua palestra, e veio com uns argumentos fracos e desculpas esfarrapadas, de que "aqui não há lugar lugar para softwares monopolizadores". E ainda tem a coragem de dizer que não te nada contra software proprietário.

Saiba que em palestras Microsoft se fala sim sobre SL, contanto que haja tecnologia da Microsoft envolvida, pois ela masma já está liberando código-fonte de algum de seus produtos.

Na minha opinião o Douglas enrolou, se fez de vítima, mas na verdade tem a mente fechada e não quer saber de qualquer coisa vinda da Microsoft, mesmo que essa contribua com o mundo SL.

Anônimo disse...

Sou Thiago Freitas, e discordo de alguns pontos de ambos os lados.

A tecnologia .NET é aberta, está publicado todo o código, ou seja, .NET é livre! Nào proprietário como alguns pensam/dizem. Assim como o AJAX.. antes que falem alguma besteira. E sim, em eventos Microsoft falamos de MONO, sempre que aparece alguém disposto.

Só falta o pessoal das universidades/faculdades pararem de fechar a mente e ver que o mercado, que é quem paga os nossos salários e que escolhe para onde as tecnologias vão... é extremamente HETEROGÊNEO, amigos aprendam tudo, abram sua mente!

Mas na dúvida ou na hora do pau, a gente pode postar uma dúvida em algum fórum quando o SQUID der pau... hehhehehehe! (brincadeira)